(19) 3251-2312 / 3325-1522  |    (19) 99837-4640  |    contato@singular.med.br  |  
 

dor cervicalA dor na região cervical é uma das mais comuns no mundo todo: milhões de pessoas sofrem com dores na região do pescoço. São muitas as possíveis causas dessa condição. Em grande parte dos casos, trata-se de uma condição auto-limitada, ou seja, a dor desaparece com o tempo, espontaneamente. Em alguns casos, a dor se prolonga durante meses ou até anos, tornando-se crônica. Muitas vezes, a dor pode ser acompanhada de rigidez no pescoço e também irradiar para braços ou para os ombros.  Essas diferenças são aspectos muito importantes para o seu médico levar em conta na hora de buscar um diagnóstico.

Exemplos de diferentes condições que podem causar dor na região cervical são contraturas musculares, lesões na região, como por exemplo a lesão em chicote, e doenças degenerativas da coluna, como a hérnia de disco. 

A coluna cervical é bastante flexível, permitindo uma boa mobilidade da cabeça. Cada vez que realizamos movimentos como inclinar a cabeça, ou girá-la para os lados, as articulações da região cervical trabalham para permitir um movimento amplo.

A maior parte das dores agudas na região cervical se originam de contraturas musculares. Estas dores costumam ser menos profundas, menos intensas e geralmente melhoram espontaneamente. É muito comum a pessoa acordar de manhã com um torcicolo, devido a uma posição inadequada durante a noite, e melhorar ao longo do dia.

Situações de estresse emocional também podem gerar uma maior tensão muscular na região e provocar ou agravar um quadro de dor. Postura inadequada no trabalho, ao dirigir ou até no sofá, vendo TV também pode gerar dor cervical. Ultimamente, o uso do celular tem sido um fator importante: a postura inadequada da pessoa ao utilizar o seu smartphone pode gerar dor cervical.

Ao longo dos anos, a nossa coluna sofre degeneração de suas estruturas. Uma causa muito comum de dor na região cervical é a artrose, ou oesteoartrite, ou ainda espondilose cervical. Trata-se de uma enfermidade inflamatória, causada por um desgaste crônico das articulações desta região, acompanhada por alterações ósseas.

A hérnia de disco também é comum nesta região. Temos sete vértebras na região cervical da coluna vertebral. Entre elas, situam-se os discos intervertebrais, que têm como função promover uma maior estabilização e também funcionam como um amortecedor. Ao longo dos anos, o disco se desgasta e pode ficar mais fino, ou se deslocar, gerando dor. A hérnia de disco acontece quando o disco se rompe, havendo um deslocamento do seu material interno, o núcleo pulposo que, ao atingir uma raiz nervosa, pode gerar um quadro de dor.

TRATAMENTO

Primeiro, é fundamental a realização de um diagnóstico apropriado com um médico especializado em dor. A avaliação médica, realizada de forma detalhada, é importante para que se busque identificar as causas da dor. Com isso, o médico de dor pode traçar um plano de tratamento que empregue os recursos mais adequados. São muito raros os casos que necessitam de cirurgia. O tratamento mais frequentemente inclui o uso de medicações, fisioterapia e procedimentos intervencionistas, como a Radiofrequência. Em casos de problemas relacionados ao estresse, a Psicologia poderá ser uma ferramenta complementar útil. A acupuntura também é uma oção que traz bons resultados em boa parte dos casos.