(19) 3251-2312 / 3325-1522  |    (19) 99837-4640  |    contato@singular.med.br  |  
 

cefaleia cervicongenica wideA cefaleia cervicogênica é definida como uma dor referida, percebida na cabeça, porém originada de um problema cervical.

Dor e rigidez no pescoço são sintomas secundários muito presentes em pessoas com dor de cabeça. Na maioria dos casos, entende-se este tipo de dor como uma consequência da dor primária, na cabeça. No entanto, em alguns casos, a dor de cabeça pode ser uma consequência de problemas da região cervical e não o contrário. Esta condição leva o nome de cefaleia cervicogênica, ou seja, dor de cabeça gerada por um problema na região cervical.

 

Na população em geral, a prevalência de cefaleia cervicogênica vai de 0,4% a 2,5%. Em clínicas especializadas em dor, esta condição está presente em cerca de 20% dos casos. A idade média dos pacientes com cefaleia cervicogênica é 42,9 anos. Esta condição é 4 vezes mais prevalente em mulheres do que em homens.

A cefaleia cervicogênica pode ser causada por diferentes problemas na região cervical, como hérnia de disco, estenose, artrose, problemas posturais ou excesso de contratura muscular, que ocorre em períodos de estresse mais intenso, ansiedade ou forte preocupação. Ansiedade e estresse costumam gerar uma tensão maior nos músculos dos ombros, pescoço e trapézio, contribuindo para o início, o agravamento ou a manutenção da dor de cabeça.

As características clínicas da cefaleia cervicogênica se assemelham bastante às cefaleias primárias, como cefaleia tensional ou enxaqueca, o que dificulta o seu diagnóstico. No exame clínico, é possível detectar esta condição quando a dor de cabeça é reproduzida a partir de certos movimentos do pescoço ou quando a dor é gerada ao se pressionar manualmente certos pontos gatilho da região cervical.

Um recurso extremamente eficaz para se detectar a cefaleia cervicogênica é o bloqueio diagnóstico. A partir deste simples procedimento minimamente invasivo, os médicos intervencionistas em dor podem determinar se a dor está sendo originada da região cervical e, além disso, podem confirmar a região específica da cervical que está causando o problema. O diagnóstico é confirmado quando a dor é aliviada pelo bloqueio de determinada região.

Após confirmado o diagnóstico da cefaleia cervical, o tratamento pode envolver diferentes recursos, conforme a causa específica da dor e o contexto de vida do paciente. Podem ser empregados diferentes tipos de medicação, Fisioterapia especializada e procedimentos intervencionistas da Medicina Intervencionista da Dor, como a Radiofrequência. Nos casos em que se percebe uma significativa relação da dor com o estresse, a Psicologia pode ser um recurso bastante eficaz, através das estratégias da Terapia Cognitivo Comportamental.

Para mais informações sobre a cefaleia cervicogênica, leia o post do Dr. André Mansano sobre o tema e o post do Dr. Charles de Oliveira sobre os diferentes tipos de dor de cabeça, escrito para o Blog Mundo Sem Dor.