(19) 3251-2312 / 3325-1522  |    (19) 99837-4640  |    contato@singular.med.br  |  
 

capsulite adesivaSabe aquela dor chata no ombro? Ou quando alguns movimentos com o braço vão gradualmente ficando mais limitados? Estes podem ser sintomas da Capsulite Adesiva, condição mais conhecida como Ombro Congelado.

Em muitos casos, a Capsulite Adesiva se torna uma condição incapacitante por algum período, trazendo um intenso incômodo. Geralmente, apenas um dos ombros é afetado, porém em cerca de 30% dos casos, há limitação de movimento em ambos os braços. A taxa de incidência na população em geral é de 3 a 5%. As mulheres costumam ser mais afetadas com esta condição, principalmente na faixa entre os 30 e 65 anos.

O fator de risco mais comum para se desenvolver esta condição é a Diabetes, especialmente a de tipo I. Cerca de 10 a 20% das pessoas com diabetes desenvolvem a Capsulite Adesiva. Outros fatores de risco são hipertioreoidismo, hérnia de disco cervical, doença cardiovascular, depressão, doença de Parkinson e cirurgia torácica.

Há muitos casos em que não há um fator de risco identificado. Estes casos, em que a causa da dor é indefinida, são chamados de idiopáticos, ou Capsulite Adesiva primária. A hipótese mais provável é que estes casos se originem de processos inflamatórios.

O desenvolvimento da Capsulite Adesiva envolve três estágios diferentes:

  1. “congelando” ou “fase dolorosa”: a dor aumenta com o movimento e piora à noite. Muitas vezes, o paciente não busca tratamento nesta fase, pois pensa que a dor com o tempo vai passar. Com a intensificação dos sintomas, há uma progressiva perda do movimento. Este estágio costuma durar de 3 a 9 meses
  2. “congelado” ou “fase transitória”: a dor começa a diminuir e o ato de mexer o braço torna-se mais confortável, porém a amplitude do movimento é mais limitada. Este estágio dura de 4 a 12 meses
  3. “degelando”: a condição começa a se resolver. A maioria dos pacientes têm uma restauração gradual do movimento em 12 a 24 meses. Aproximademente 5% dos pacientes precisarão de cirurgia para restaurar a movimentação

Os tratamentos mais indicados para a Capsulite Adesiva incluem: medicação para reduzir a inflamação e aliviar a dor e a fisioterapia, para ativamente alongar e ajudar a restaurar a função – a hidroterapia costuma ser uma ótima opção, pois a água diminui o impacto e ajuda a relaxar. A Medicina Intervencionista da Dor conta como principais recursos nestes casos os bloqueios anestésicos com corticosteroides, que costumam ter uma alta taxa de eficácia. Outro recurso não cirúrgico é a Terapia por Onda de Choque, que vem apresentando resultados favoráveis em diversos estudos recentes. A cirurgia é indicada na grande minoria dos casos que não tiveram sucesso com outros recursos de tratamento. 

Depoimentos

  • Mari

    Mari

    "Já tinha consultado inúmeros médicos sem resultado algum...o Singular fez toda a diferença no momento crítico pelo qual passei. Além dos profissionais competentes, o tratamento humanitário foi destaque durante o tratamento." Leia Mais
  • Marcelo

    Marcelo

    "23 anos de dor lombar crônica. No começo de tudo a dor era insuportável, 24 hs por dia; nessa época já não esperava mais nada, era como mais uma consulta, mas foi através do tratamento de bloqueios e fármacos específicos Leia Mais
  • Priscilla

    Priscilla

    "Confio plenamente em toda equipe que cuida de mim...estou evoluindo cada dia mais...minha vida não parou." Leia Mais
  • Lucinda

    Lucinda

    Acho que nunca me acostumei com a dor, e saber que era possível me livrar dela me fez chegar até aqui, um lugar tão Singular, que certamente simbolizará um novo jeito de caminhar, um novo destino com projetos e possibilidades. Leia Mais
  • Omar

    Omar

    DR CHARLES e DR FABRÍCIO dois Profissionais e dois seres humanos , sem palavras..... Leia Mais
  • Marcelo

    Marcelo

    No início de 2013 comecei a sentir dores constantes na região cérvico-toráxica. Não sabia as causas e muito menos o diagnóstico para aquele incômodo muscular que passou a ser diário. Com o passar do tempo a dor começou aumentar de intensidade e de duração. Leia Mais
  • Anderson

    Anderson

    É difícil mensurar minha satisfação atual, assim como era difícil suportar tanta dor e sofrimento pelo qual passei quando do início de meu tratamento junto à clínica singular, em especial pelo atendimento prestado pelo Dr. Charles. Leia Mais
  • Gláucia

    Gláucia

    Procurei o Dr. Fabrício em decorrência de um pós operatório frustrado. Cheguei a primeira consulta totalmente fatigada, abaixo do meu peso, muita olheira por  noites mal dormidas e com uma grande expectativa quanto a solução para o alívio das dores Leia Mais
  • Déa

    Déa

    Dr. André, não temos palavras para agradecer toda dedicação e carinho, que aliados à extrema competência fizeram com que nossa mãe e paciente Déa se sentisse segura e sem dor no decorrer de anos de tratamento, mesmo após inúmeras opiniões no sentido de que não haveria mais possibilidade de controle da dor. Leia Mais
  • Rodrigo

    Rodrigo

    Assim como o ano de 2016, o de 2017 para mim inicia-se com um enorme otimismo e as melhores expectativas possíveis! Todo esse otimismo está embasado no belíssimo papel que a Clínica SINGULAR desempenha em minha vida e na de Leia Mais
  • Rosalva

    Rosalva

    Quero agradecer à toda equipe da Clínica Singular, todos, sem exceção, atenciosos, sempre presentes e muito gentis.  Em especial ao fisioterapeuta Rodrigo Vasconcelos que me auxiliou com exercícios e após conversar com o Dr. Rafael Barreto Silva  do Instituto da Leia Mais
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11