(19) 3251-2312 / 3325-1522  |    (19) 99837-4640  |    contato@singular.med.br  |  
 

A hérnia de disco é considerada a mais frequente causa de lombociatalgia mecânica, ou seja, a dor que irradia da coluna lombar para as pernas. Trata-se de uma condição muito prevalente no mundo todo: estima-se que 30 a 40% da população mundial possuam hérnia discal, a grande maioria sendo assintomática, ou seja, sem dor. Por isso, muitas vezes um exame de ressonância indicando uma hérnia de discal não consegue explicar a verdadeira causa da dor. Estudos apontam que das pessoas com hérnia de disco apenas 2 a 3 % sofrem com os sintomas.

A grande maioria dos casos de hérnia de disco gerando sintomas dolorosos, cerca de 80%, acontece em homens entre 30 e 50 anos, mas também há uma certa incidência em mulheres, adolescentes, idosos e até crianças. Neste texto, você poderá entender melhor esta afecção que pode provocar tanto incômodo em diversas pessoas.

A coluna é composta por 33 vértebras. Entre uma vértebra e outra estão os discos intervertebrais, cuja função é evitar o atrito entre as vértebras e amortecer o impacto, facilitando a mobilidade e a estabilidade da coluna. Os discos são constituídos por um anel resistente, que contém um material gelatinoso, chamado de núcleo pulposo.

Ao longo dos anos, o disco tende a se desgastar. Aparecem certas rupturas nos anéis, que permitem o extravasamento do material gelatinoso. Quando este material compromete algum nervo, o resultado é a dor, localizada na região onde se dá a lesão discal e podendo irradiar para outras partes.

A maior parte das hérnias discais acontece na região lombar, por ser esta a área da coluna que mais se movimenta, mas também podem aparecer hérnias de disco nas regiões cervicais e torácicas, esta última em menor proporção. A dor de uma hérnia na região lombar pode irradiar para pernas e pés. A hérnia cervical pode gerar uma dor que irradia para braços, mãos e dedos. Além de dor, o paciente também pode sentir formigamento e dormência nos membros.

Como principais fatores de risco para o desenvolvimento de uma hérnia podemos apontar: predisposição genética, envelhecimento, sedentarismo, excesso de peso e tabagismo. Trabalhos repetitivos, que envolvam carregar ou levantar peso podem também favorecer o surgimento de hérnias de disco.  

É possível prevenir o aparecimento de hérnias a partir de hábitos de vidas saudáveis e trabalhos adequados, com uma boa condição ergonômica. A prática regular de exercícios físicos é fundamental e uma postura corporal adequada também podem prevenir o surgimento de hérnias discais.

A boa notícia quanto ao tratamento é que a imensa maioria dos casos não necessita de cirurgias. As indicações cirurgicas acontecem nos poucos casos em que há uma significante perda de força muscular progressiva e quando a dor é intratável com outros recursos. Como alternativa à cirurgia, alguns procedimentos minimamente invasivos podem ser recursos de tratamento bastante eficazes e seguros. O L'Disq é um destes recursos. Recentemente trazido para o Brasil, esta tecnologia sul coreana permite que a hérnia de disco seja tratada sem a necessidade de internação hospitalar. Para conhecer mais sobre este procedimento, clique no link.

 

FONTES:

  • Jornal Brasileiro de Neurocirurgia: http://www.abnc.org.br/ed_art.php?artcod=542
  • “Pain Wise: a patient’s guide to Pain Management” – Kloth D, Trescot A & Riegler F, 2011)
  • “Dor: Princípios e Prática” – Onofre Alves Neto (org.)

Depoimentos

  • Mari

    Mari

    "Já tinha consultado inúmeros médicos sem resultado algum...o Singular fez toda a diferença no momento crítico pelo qual passei. Além dos profissionais competentes, o tratamento humanitário foi destaque durante o tratamento." Leia Mais
  • Marcelo

    Marcelo

    "23 anos de dor lombar crônica. No começo de tudo a dor era insuportável, 24 hs por dia; nessa época já não esperava mais nada, era como mais uma consulta, mas foi através do tratamento de bloqueios e fármacos específicos Leia Mais
  • Priscilla

    Priscilla

    "Confio plenamente em toda equipe que cuida de mim...estou evoluindo cada dia mais...minha vida não parou." Leia Mais
  • Lucinda

    Lucinda

    Acho que nunca me acostumei com a dor, e saber que era possível me livrar dela me fez chegar até aqui, um lugar tão Singular, que certamente simbolizará um novo jeito de caminhar, um novo destino com projetos e possibilidades. Leia Mais
  • Omar

    Omar

    DR CHARLES e DR FABRÍCIO dois Profissionais e dois seres humanos , sem palavras..... Leia Mais
  • Marcelo

    Marcelo

    No início de 2013 comecei a sentir dores constantes na região cérvico-toráxica. Não sabia as causas e muito menos o diagnóstico para aquele incômodo muscular que passou a ser diário. Com o passar do tempo a dor começou aumentar de intensidade e de duração. Leia Mais
  • Anderson

    Anderson

    É difícil mensurar minha satisfação atual, assim como era difícil suportar tanta dor e sofrimento pelo qual passei quando do início de meu tratamento junto à clínica singular, em especial pelo atendimento prestado pelo Dr. Charles. Leia Mais
  • Gláucia

    Gláucia

    Procurei o Dr. Fabrício em decorrência de um pós operatório frustrado. Cheguei a primeira consulta totalmente fatigada, abaixo do meu peso, muita olheira por  noites mal dormidas e com uma grande expectativa quanto a solução para o alívio das dores Leia Mais
  • Déa

    Déa

    Dr. André, não temos palavras para agradecer toda dedicação e carinho, que aliados à extrema competência fizeram com que nossa mãe e paciente Déa se sentisse segura e sem dor no decorrer de anos de tratamento, mesmo após inúmeras opiniões no sentido de que não haveria mais possibilidade de controle da dor. Leia Mais
  • Rodrigo

    Rodrigo

    Assim como o ano de 2016, o de 2017 para mim inicia-se com um enorme otimismo e as melhores expectativas possíveis! Todo esse otimismo está embasado no belíssimo papel que a Clínica SINGULAR desempenha em minha vida e na de Leia Mais
  • Rosalva

    Rosalva

    Quero agradecer à toda equipe da Clínica Singular, todos, sem exceção, atenciosos, sempre presentes e muito gentis.  Em especial ao fisioterapeuta Rodrigo Vasconcelos que me auxiliou com exercícios e após conversar com o Dr. Rafael Barreto Silva  do Instituto da Leia Mais
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11