(19) 3251-2312 / 3325-1522  |    (19) 99837-4640  |    contato@singular.med.br  |  
 

dor cronica

A dor crônica é uma condição que afeta cerca de 60 milhões de brasileiros. Cerca de 50% dessas pessoas apresentam sério comprometimento em sua rotina. Entenda o que caracteriza a dor crônica e como o tratamento interdisciplinar pode melhorar a qualidade de vida de quem sofre com dores constantes.

A dor tem uma função muito importante para nosso organismo, nos alertando que há algum problema acontecendo. O corpo detecta estímulos nocivos através dos nociceptores. Estes receptores conseguem detectar estímulos térmicos (como queimaduras), mecânicos (como pancadas) ou químicos (ardência causada por um medicamento em um corte). Esses estímulos captados pelos nociceptores são transformados em impulsos elétricos, que por sua vez são levados através dos neurônios até chegar ao cérebro, onde essa informação se espalha por diversas áreas, relacionadas a diferentes aspectos, como sensação, cognição, emoções, memória. Dor é o resultado desse processo complexo, que é fundamental para a nossa sobrevivência. Se não sentíssemos dor, não conseguiríamos proteger nosso corpo adequadamente.

Para entendermos o que é a dor crônica, vamos recorrer a uma analogia. Ao avisar-nos de que há algo errado acontecendo, a dor funciona como um alarme, assim como o de uma casa. Se um bandido tenta entrar na casa, o alarme soará, nos avisando que há um risco de assalto.

Agora imagine que o alarme de uma casa passou a disparar aleatoriamente, mesmo que não haja ninguém por perto. O alarme perdeu a sua função, já não mais nos avisa dos riscos e perigos. Assim acontece com a dor crônica: a condição dolorosa passa a ser o problema em si, não é mais apenas um aviso de uma outra enfermidade. A jornalista Melanie Thernstrom, no livro "As Crônicas da Dor" afirma que "a dor crônica é a fração da dor que a natureza não consegue curar, que não se resolve com o tempo, que só piora".

Resumindo: a dor aguda segue a uma lesão do tecido e é temporalmente limitada, ou seja, ao curar a lesão, a dor cessa. A dor crônica persiste além do período de reparação do tecido ou é associada a doenças crônicas. Exemplos de dor aguda são as fraturas, queimaduras, ou a dor pós-operatória. Exemplos de dor crônica são condições como artrite, artrose, fibromialgia, dor lombar inespecífica, entre muitos outras. 

A dor crônica é muito difícil de ser curada. Trata-se de um problema complexo, que exige um trabalho interdisciplinar, envolvendo profissionais de diferentes especialidades. Em muitos casos, o objetivo não será acabar a dor completo, mas promover um alívio o mais sustentável e duradouro possível e ajudar a pessoa a ter uma qualidade de vida melhor. Para isso, vários recursos podem ser empregados.

Medicamentos e procedimentos intervencionistas podem oferecer o alívio significativo da dor. A fisioterapia é imprescindível para promover a reabilitação. O trabalho psicológico e, em alguns casos, psiquiátrico, é importante, pois a dor crônica geralmente acarreta alterações emocionais, podendo levar a condições como a ansiedade e depressão. Pesquisas científicas também apontam ótimos resultados no uso da acupuntura. São muitas as opções de tratamento e é essencial que os profissionais envolvidos trabalhem de forma integrada, em um constante diálogo, para promover a saúde do sujeito como um todo e não apenas de seu sintoma.

Testimonials

  • Mari

    Mari

    "Já tinha consultado inúmeros médicos sem resultado algum...o Singular fez toda a diferença no momento crítico pelo qual passei. Além dos profissionais competentes, o tratamento humanitário foi destaque durante o tratamento." Read More
  • Marcelo

    Marcelo

    "23 anos de dor lombar crônica. No começo de tudo a dor era insuportável, 24 hs por dia; nessa época já não esperava mais nada, era como mais uma consulta, mas foi através do tratamento de bloqueios e fármacos específicos Read More
  • Priscilla

    Priscilla

    "Confio plenamente em toda equipe que cuida de mim...estou evoluindo cada dia mais...minha vida não parou." Read More
  • Lucinda

    Lucinda

    Acho que nunca me acostumei com a dor, e saber que era possível me livrar dela me fez chegar até aqui, um lugar tão Singular, que certamente simbolizará um novo jeito de caminhar, um novo destino com projetos e possibilidades. Read More
  • Omar

    Omar

    DR CHARLES e DR FABRÍCIO dois Profissionais e dois seres humanos , sem palavras..... Read More
  • Marcelo

    Marcelo

    No início de 2013 comecei a sentir dores constantes na região cérvico-toráxica. Não sabia as causas e muito menos o diagnóstico para aquele incômodo muscular que passou a ser diário. Com o passar do tempo a dor começou aumentar de intensidade e de duração. Read More
  • Anderson

    Anderson

    É difícil mensurar minha satisfação atual, assim como era difícil suportar tanta dor e sofrimento pelo qual passei quando do início de meu tratamento junto à clínica singular, em especial pelo atendimento prestado pelo Dr. Charles. Read More
  • Gláucia

    Gláucia

    Procurei o Dr. Fabrício em decorrência de um pós operatório frustrado. Cheguei a primeira consulta totalmente fatigada, abaixo do meu peso, muita olheira por  noites mal dormidas e com uma grande expectativa quanto a solução para o alívio das dores Read More
  • Déa

    Déa

    Dr. André, não temos palavras para agradecer toda dedicação e carinho, que aliados à extrema competência fizeram com que nossa mãe e paciente Déa se sentisse segura e sem dor no decorrer de anos de tratamento, mesmo após inúmeras opiniões no sentido de que não haveria mais possibilidade de controle da dor. Read More
  • Rodrigo

    Rodrigo

    Assim como o ano de 2016, o de 2017 para mim inicia-se com um enorme otimismo e as melhores expectativas possíveis! Todo esse otimismo está embasado no belíssimo papel que a Clínica SINGULAR desempenha em minha vida e na de Read More
  • Rosalva

    Rosalva

    Quero agradecer à toda equipe da Clínica Singular, todos, sem exceção, atenciosos, sempre presentes e muito gentis.  Em especial ao fisioterapeuta Rodrigo Vasconcelos que me auxiliou com exercícios e após conversar com o Dr. Rafael Barreto Silva  do Instituto da Read More
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11